Distinções

África is more 2020
Reconhecimento do trabalho artístico em África principalmente em Moçambique

Mesmo que não tenha sido entregue num palco ou numa cerimónia oficial devido ao COVID, foi e é recebido por mim aqui em Moçambique com o mesmo respeito e o valor que a distinção representa. Muito obrigada a África is more. pela homenagem e pelo reconhecimento do meu trabalho em África e principalmente em Moçambique. Kanimambo.

Prémio Afrolic 2019
Reconhecimento da Obra Literária no Brasil

Sónia Sultuane e Sávio Roberto Fonseca de Freitas

Sónia Sultuane recebendo o prémio Afrolic 2019 das mãos de Sávio Roberto Fonseca de Freitas

Visite o link abaixo para aceder à notícia publicada no Brasil acerca do congresso.

UFRN promove Congresso Internacional sobre Literatura Africana – Tribuna do Norte

Prémio Femina

Em 2017 foi agraciada em Portugal com o Prémio Femina, por mérito nas Letras: Literatura – Poesia  – atribuído a Notáveis Mulheres Portuguesas e da Lusofonia, oriundas de Portugal, dos Países de Expressão Portuguesa, das Comunidades Portuguesas e Lusófonas, e Luso-descendentes, que se tenham distinguido com mérito ao nível profissional, cultural e humanitário no Mundo, pelo Conhecimento e pelo seu relacionamento com outras Culturas.

Cerimónia de Entrega do Prémio Femina feita pelo escritor Delmar Maia Gonçalves, 2017, Lisboa

Cerimónia de Entrega do Prémio Femina feita pelo escritor Delmar Maia Gonçalves, 2017, Lisboa.

Círculo dos Escritores Moçambicanos na Diáspora

Em 2014 foi condecorada em Portugal pelo Círculo dos Escritores Moçambicanos na Diáspora como escritora do ano.

VII Encontro de Escritores  Moçambicanos na Diáspora, 2014, Fundação José Saramago, Lisboa

VII Encontro de Escritores Moçambicanos na Diáspora (CEMD), 2014, Fundação José Saramago, Lisboa – Cerimónia de Entrega do Prémio feita pelo falecido escritor Ascêncio de Freitas.

É membro:

  • AEMO (Associação dos Escritores Moçambicanos) onde ocupou o cargo de Secretária da Assembleia Geral;
  • Membro da Comissão de Honra da Fundação Fernando Leite Couto;
  • Membro do Muvart;
  • Núcleo de Arte;
  • Associação Moçambicana de Fotografia;
  • Membro do Conselho de Direcção do Arterial Network Mozambique.

Outros:

  • Embaixadora do MIL (Movimento Internacional Lusófono – Moçambique) na cidade de Maputo;
  • Representante honorária do Círculo de Escritores Moçambicanos na Diáspora em Maputo;
  • Sócia Honorária da Associação Dos Escritores Moçambicanos na Diáspora;
  • Embaixadora da Casa Internacional de S. Tomé e Príncipe em Lisboa;
  • Embaixadora da Loja das Meias em Moçambique.

Foi Cronista na Revista Lua do jornal Sol (2011- 2012). Colaborou também com a revista Índico, revista de bordo das Linhas Aéreas de Moçambique.

Participou no Brasil no evento “Quatro Vozes Femininas de África”, na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, de Agosto de 2011 como palestrante.

Participou do XIV Seminário Nacional & V Seminário Internacional Mulher e Literatura “Palavra e Poder: RepresentAÇÕES Literárias”, realizado em Agosto de 2011, no Instituto de Letras da Universidade de Brasília (UnB), na qualidade de palestrante de “Mesa Plenária”.

Escreveu um poema “A língua que eu falo” para o projecto Art for Humanity (formerly Artists for Human Rights) – Durban University of Technology – RSA inspirado no tema “Dialogue among Civilisations”, projecto que tem como patrono a Unesco (Exposição que teve lugar na Art Gallery – City Hall – Durban em Março 2010).

Criou o projecto artístico (Walking Words) desde 2008 – inserido já em várias disciplinas artísticas.