Fotografia com Texto

Naufrágio
Quero soltar a âncora e velejar nesse mapa desconhecido,
e se o mar ficar bravo,
assobiarei aos céus para negociar a rota directa à lua,
e se os ventos forem fortes,
aguentarei firme nas coordenadas dessa viagem da vida.
Do livro Roda das encarnações.

Fotografia: Sónia Sultuane

Deita-te despida de preconceitos e acordarás vestida com as melhores fantasias da vida. Sónia Sultuane

 

 

“A nossa felicidade mora onde pretendemos ser felizes, não mora na casa do vizinho nem em casa alheia.” – Sónia Sultuane

“Na recordação guardada na fortaleza da nossa memória, não há tempestade que abale que leve que apague a nossa recordação genética.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 15.09.19

Todas as portas foram abertas,
que haja coragem de escolher
em qual delas entrar ou sair,
que haja coragem de bater com algumas,
que haja coragem de abrir outras para encontrar o infinito,
que conquista essa feita de miséria humana?!
que nos faz navegar nos nossos próprios mistérios,
como os mistérios que guardam estas paredes,
molhadas de suor, de lágrimas, do sonho de fugir,
para lá do horizonte a procura do colo do nosso refúgio,
da certeza dessa casa mãe, chão, colo.

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 18.09.2019

Não fui a procura do outro,
mas afinal de mim mesma,
das conchas, das ruínas, do sal, do mar,
não fui deixar nada,
mas fui buscar tudo o que sou,
lá distante esta terra firme,
o farol, finalmente porto seguro,
lembrando-me que só com ousadia,
o mundo estará a nossos pés,
as rotas esquecidas na nossa existência,
o mar deixa perpetuar todas as nossas conquistas,
e deixa-nos mergulhar na história do tempo esquecido.

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“E quando tudo toma forma e sentido na nossa vida.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

img_8460-1

“Mesmo assim, estão guardados em mim todos os segredos, mesmo assim, a memória está gravada em cada parede, em cada pedra. Mesmo assim irei sobreviver ao abandono ao esquecimento dos homens, mesmo assim, serei pedra sobre pedra, memória sobre memória.”

Sónia Sultuane | Ilha de Moçambique – Julho 2019

“Pescando sonhos ou esperando sonhos.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“Mar prateado, mar calmo.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“A vida é feita de remendos.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“Companheirismo.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“Procurando o pão.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“Parado, sossegado.”

Sónia Sultuane
Ilha de Moçambique | 2019

“Regressar as memórias da infância”

Fotografia de Sónia Sultuane

#Nampula #PanchoGuedes #BCI #LAM #SoniaSultuane #Arte #Artistas #Moçambique #Africa

Lisboa já és saudade

O Tejo prateado silencioso,
o Teleférico por momentos o confessionário dos amantes,
as mãos dadas selando as juras de amor,
o Parque das Nações colorido e encantado como as mil e uma noites,
o Oriente cruzando gentes, cada um nas suas ilusões,
ao fundo Mariza cantando “O Beijo de saudade”,
a noite vai-se pondo devagarinho,
já chora a minha alma de saudades,
ah já morro de tantas saudades,
ficou distante
Alfama, Mouraria, Chiado, Bairro Alto,
a praça do Comércio de todas as nações ,
D. José dando as boas vindas aos turistas,
e na língua de Camões serve-se a bica, os tremoços, os pastéis de nata,
os pescadores ao longe namoriscando com o Tejo,
e as gaivotas marotas brincando a pára-quedistas
os eléctricos cruzando,
Cais do Sodré, Belém, Alcântara
fica para lá a Cordoaria, LX Factory,
ao longe Cristo Rei lembrando a fé dos portugueses,
fica a saudade da noite estrelada
fica a saudade da noite de lua cheia,
fecho os olhos e procuro na memória do meu olfato o cheiro dessa casa que também conheço tão bem, escorrer-me uma lágrima, dói a saudade.

Sónia Sultuane | Lisboa Agosto 2019

“O amor é como cuidar de um vinhedo, temos que saber interpretar o tempo, a lua, a chuva e claro adubar também com uma grande dose do nosso coração.” – Sónia Sultuane

Estou aprendendo
a conhecer as memórias,
do espaço físico,
do reconhecimento geográfico,
da possibilidade de existir,
da possibilidade que Deus me deu de continuar a existir!!!
Então o que interessa?!A matéria física? a matéria orgânica?
Não!!!Só interessa mesmo a matéria espiritual e cósmica,
a possibilidade de puder viajar em todos os lugares,
que habitam dentro das memórias que guardam o meu DNA.

Sónia Sultuane
Brasil | Julho 2019

No lugar do silêncio,
as vozes chegam,
onde o longe vem trazido nas malas da memória,
e onde as memórias são levadas pela alma da gente.
Acontece a vida, acontece a saudade,
acontece o agora, acontece o amanhã.
Esse é o lugar onde acontece a nossa existência.

Sónia Sultuane
Brasil | Julho 2019

A casa onde moro,
não tem mais muros nem janelas,
só uma porta aberta,
donde saio para o mundo e donde o mundo entra.
Vai comigo para qualquer lugar,
tem a lua como companheira,
enraiza-se onde a água é abundante e pura, e a terra fértil.
As fundações são feitas de amor e os seus alicerces do novo, do diferente, do outro.
A casa onde moro está embelezada com o sol, a lua, a noite, o dia, o amanhã o depois, o presente e o futuro.
A casa é minha é tua é nossa.

Sónia Sultuane
Brasil | Julho 2019

img_2857-1

Como se empresta ao mar voz?
Quando emprestamos as sílabas do nosso silêncio!
Quando não sabemos como descrever os acordes que ele nos deixa ouvir,
quando ele dança toda a música do alfabeto
quando ele escreve na areia toda a leveza e a pureza do nosso existir,
quando ele nos faz perceber que nos vamos pondo velhos
e traz consigo todas as nossas memórias dos caminhos já vividos.

Sónia Sultuane
Brasil | Julho 2019

Sou estrangeira nesta terra
no país de mim
nos lugares em mim
nos olhares perdidos
nas certezas dispersas
sou alheia a nacionalidade
sou uma estrangeira de mim
num corpo tatuado
com forma de mapa universo
um leito de saudades
numa multidão de pensamentos
num mundão de sentimentos
no cosmos que desconheço.

Sónia Sultuane
Setembro 2018 – (Dedicado ao Brasil)

 

Viajar física e espiritualmente

“Viajar é mais do que sair de um ponto para o outro… de um lugar para o outro… é permitir-se olhar pela janela para o desconhecido!!!” – Sónia Sultuane

Os peixes pintando ilusões

“Realmente tudo depende sempre como olhamos o mundo.”

Fotografias de Sónia Sultuane
Jardim Budha Eden, Bombarral, Portugal

#Fotografia #Portugal #BudhaEden #Bombarral #SoniaSultuane #Moçambique #Africa